A iniciativa surge da preocupação do Município com a saúde dos munícipes que frequentam as instalações municipais, a fim de apontar na prevenção e aumentando a probabilidade de sobrevivência em caso de paragem cardiorrespiratória. Estes equipamentos, dado que podem salvar vidas, são essenciais como qualquer outro equipamento de segurança.

Para correta utilização dos desfibrilhadores externos, 10 funcionários do município de Belmonte, já frequentaram cursos de formação ministrados por entidades especializadas e certificadas para a área da Desfibrilhação Automática Externa.

Os dois primeiros aparelhos foram colocados no início do ano de 2020 e em espaços da responsabilidade da Autarquia, nomeadamente no Pavilhão Gimnodesportivo de Belmonte e Pavilhão Gimnodesportivo de Caria, com efeito de prevenir vítimas de morte súbita cardíaca. Os dois espaços desportivos passam a estar equipados com desfibrilhadores de ponta, que incorpora monitorização remota 24 horas por dia, teleassistência com a Cruz Vermelha Portuguesa e chamada automática para os serviços de emergência.

Segundo o responsável autárquico, com a utilização de desfibrilhadores automáticos externos a possibilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor for o tempo decorrido entre a fibrilação e desfibrilhação, daí a importância de implementação deste programa.