Pedro Álvares Cabral

Após o regresso de Vasco da Gama, D. Manuel enviou à Índia uma nova armada, mais numerosa e militarmente mais forte. Foram enviados treze navios, com tripulantes e homens de guerra num total de milhar e meio. Segundo se supunha, eram capazes de estabelecer diretrizes comerciais e políticas que Vasco da Gama, com a sua modesta frota, não conseguira estabelecer. Por carta régia de 15 de fevereiro de 1500, nomeou-se então para comandar esta poderosa armada Pedro Álvares Cabral, fidalgo da corte, filho de Fernão Cabral e de Isabel de Gouveia, que terá nascido entre 1467-1468, em Belmonte.

Criado como membro da nobreza portuguesa, Pedro Álvares Cabral foi enviado à corte do rei D. Afonso V em 1479, quando tinha cerca de 12 anos.
Foi educado em humanidades e treinado para lutar e pegar em armas. Tinha cerca de 17 anos, quando foi nomeado moço fidalgo (um título de menor importância normalmente concedido a jovens nobres) pelo rei D. João II.

Os registros das suas ações antes de 1500 são incompletas. O rei D. Manuel I, que tinha ascendido ao trono dois anos antes, concedeu-lhe um subsídio anual no valor de 30 mil reais em 12 de abril de 1497. Na mesma época, recebeu o título de fidalgo do Conselho do Rei e nomeado Cavaleiro da Ordem de Cristo.  Não há nenhuma imagem ou descrição física detalhada de Cabral contemporâneas à sua época.
Sabe-se que era forte e era igual ao pai em altura (1,90 metros) . O caráter de Cabral terá sido descrito como culto, cortês, prudente, generoso, tolerante com os inimigos, humilde, mas também vaidoso e muito preocupado com o respeito que sentia que sua nobreza e posição exigiam.

Com cerca de trinta e três anos de idade teve como missão comandar a mais poderosa armada portuguesa do século XV, procurando estabelecer relações politicas, diplomáticas e comerciais com o Samorim de Calecute, impondo a força se necessário, e retornar com o máximo de mercadorias possíveis. Assim, a armada saiu de Portugal no dia 09 de Março de 1500, chegando ao Continente Americano, mais precisamente ao Brasil, em 22 de Abril de 1500.
Nesta data as caravelas chegaram ao litoral sul do atual estado da Bahia, onde avistaram um monte ao qual batizaram de Monte Pascoal, porque chegaram na altura da Páscoa.
Ao chegarem aqui, mantiveram contato com os nativos e escreveram ao Rei D. Manuel contando a respeito de todas as riquezas naturais que encontraram, e se estabeleceram aqui com uma colonia de exploração.
O desembarque aconteceu no dia 23 de Abril, 45 dias após a partida de Portugal. Dois dias depois, em 26 de abril, é rezada a primeira missa no território.
No dia 1º de maio, Pedro Álvares Cabral oficializa a posse das terras brasileiras pela Coroa Portuguesa com a celebração da segunda missa diante de uma cruz marcada com o brasão real.