O diretor executivo da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027, visitou Belmonte para conhecer as suas infraestruturas de cultura e também a programação do município para o próximo meio ano. O arquiteto, Pedro Gadanho, visitou os museus de Belmonte, a Casa Etnográfica de Caria, os auditórios municipais e da Santa Casa da Misericórdia, a Quinta da Fórnea, e ainda a zona da chamada praia-fluvial, tendo em vista um projeto de recuperação do espaço para um auditório ao ar-livre.

Esta visita foi antecedida de uma reunião com o presidente da autarquia, António Rocha, e com o vice-presidente da Câmara Municipal da Guarda, Victor Amaral reafirmou que a “candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura, não é uma candidatura de uma cidade mas sim de uma região que envolve 17 municípios e onde Belmonte tem um papel preponderante pelas suas muitas valências e dinâmicas”. António Rocha mostrou agrado pela abertura da candidatura a outros municípios e mostrou-se empenhado no projeto, sublinhando uma vez mais, que “Belmonte será um parceiro ativo, para levar a candidatura a bom porto, ajudando a reforçar o projeto e a torná-lo diferenciador”.

O diretor executivo da candidatura, Pedro Galhano, afirmou que o projeto vida criar “uma metrópole no interior, em que os 17 municípios possam interagir numa rede de eventos e oportunidades regionais, aumentando a oferta cultural” e deixou a mensagem de que a cultura “pode e deve ser também uma alavanca económica, até numa altura em que as pessoas começam de novo a olhar para o interior, não só para o turismo, mas para viver e trabalhar!”

Belmonte é um dos 17 municípios que integram a candidatura Guarda 2027, conheça mais em https://www.guarda2027.pt/belmonte