“Uma ideia muito interessante que não devemos abandonar”, foi desta forma que o presidente da Câmara de Belmonte classificou a proposta avançada pelo autarca da Guarda no sentido de o Ministério da Saúde avançar com a criação do Centro Hospitalar Universitário Covilhã/Guarda.

António Dias Rocha (foto) afirma que gostaria muito que a população do concelho de Belmonte pudesse ir à Covilhã ou à Guarda, servindo-se das valências que existem em cada uma das estruturas. Isso iria permitir prestar serviços mais adequados e de melhor qualidade às populações numa área tão sensível como é a da saúde “se há um assunto em que estou imediatamente disponível para acompanhar o presidente da Câmara da Guarda em todas as iniciativas que venha a tomar é este. Penso que é uma ideia muito interessante que não devemos abandonar. E eu aqui que estou no meio, em Belmonte, gostava muito que a minha população nas várias áreas de intervenção da saúde pudesse ir à Covilhã ou à Guarda, servindo-se das valências que existem em cada uma das estruturas. Isso iria permitir prestar serviços mais adequados e de melhor qualidade às nossas populações numa área tão sensível como é a da saúde”.

António Dias Rocha acrescentou que, para além da melhoria de rede de cuidados de saúde prestados às populações, a medida poderia trazer efeitos positivos para o concelho ao nível da fixação de novos profissionais de saúde e criando novas alternativas ao nível formativo para os alunos do ensino secundário “até para os nossos jovens estudantes pode ser interessante a Guarda para fazerem a sua formação e o concelho de Belmonte estaria disponível para receber todos os alunos que quisessem sediar-se aqui. Era de braços abertos que os iríamos receber. Como médico de formação que sou, adiro já a esta ideia e como político também. Acho que é uma excelente ideia e agrada-me muito até porque nesta estrutura já estaria incluído o Fundão”.

Recordo-lhe que o presidente da Câmara Municipal da Guarda vai apresentar à nova Ministra da Saúde a mesma reivindicação que fez a Adalberto Campos Fernandes, antigo titular do cargo, para que seja criado o Centro Hospitalar Universitário Covilhã/Guarda.

A pretensão foi apresentada por Álvaro Amaro apenas dois dias antes da nomeação de Marta Temido como nova responsável da pasta e o autarca da Guarda garante que “a cidade não vai desistir do reconhecimento a que tem direito na área da saúde”.

Álvaro Amaro acrescentou que a ideia foi bem acolhida pelo antigo Ministro da Saúde e promete não deixar cair o assunto no esquecimento das presidentes da Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro e da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda que também marcaram presença nessa cerimónia

O Centro Hospitalar Universitário Covilhã/Guarda, uma reivindicação deixada pelo presidente da Câmara da Guarda que conta com o apoio do município de Belmonte.

fonte: Radio Caria