AVISO À POPULAÇÃO: ONDE DE CALOR

Onde De Calor 06 Jul

Informamos toda a população que nos próximos dias/semana seremos “atingidos” por uma onda de calor que se antevê possa vir a bater recordes de temperatura máxima em muitos locais.

Tal como previsão do IPMA, em anexo, a máxima andará na ordem dos 40º C e as próximas noites serão consideradas tropicais, uma vez que a temperatura mínima não descerá, durante a madrugada, dos 20º.

Previsao 10 Dias

Foi inicialmente emitido um aviso de nível amarelo, sendo expectável que o mesmo suba pelo menos até ao nível laranja nos próximos dias.

Posto isto, e porque estatisticamente está comprovado que estes episódios, quando prolongados por vários dias, como será o caso, aumentam a taxa de mortalidade, principalmente entre grupos mais vulneráveis, torna-se premente elencar e divulgar junto da população um conjunto de recomendações previstas pela DGS, a saber:

A exposição a períodos de calor intenso, durante vários dias consecutivos – ondas de calor – constitui uma agressão para o organismo, podendo conduzir à desidratação, ao agravamento de doenças crónicas, a um esgotamento ou a um golpe de calor, situação muito grave e que pode provocar danos irreversíveis na saúde, ou inclusive levar à morte.

São mais vulneráveis ao calor:

  • As crianças nos primeiros anos de vida;
  • As pessoas idosas;
  • Os portadores de doenças crónicas ou com problemas de saúde mental;
  • As pessoas obesas, acamadas ou a tomar alguns medicamentos;
  • Os trabalhadores expostos ao sol e/ou ao calor.

Para a prevenção dos efeitos do calor intenso recomendam-se as seguintes medidas:

  • Aumentar a ingestão de água, mesmo sem ter sede;
  • As pessoas que sofram de doença crónica, ou que estejam a fazer uma dieta com pouco sal, ou com restrição de líquidos, devem aconselhar-se com o seu médico, ou contactar a Linha Saúde 24: 808 24 24 24;
  • Evitar bebidas alcoólicas e bebidas com elevados teores de açúcar;
  • Os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes, podem não sentir, ou não manifestar sede, pelo que são particularmente vulneráveis – ofereça-lhes água e esteja atento e vigilante;
  • Devem fazer-se refeições leves e mais frequentes. São de evitar as refeições pesadas e muito condimentadas;
  • Evitar a exposição direta ao sol, em especial entre as 11 e as 17 horas;
  • Nunca deixar crianças, doentes ou pessoas idosas dentro de veículos expostos ao sol;
  • Sempre que possível, diminuir os esforços físicos e repousar frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados. Evitar atividades que exijam esforço físico;
  • Usar roupa larga, leve e fresca;
  • Não hesitar em pedir ajuda no caso de se sentir mal com o calor;
  • Informar-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas isoladas, idosas, frágeis ou com dependência que vivam perto de si e ajudá-las a protegerem-se do calor.

Como facilmente se percebe, todo este cenário trará outro tipo de consequências: o agravamento da situação de seca e o aumento do perigo de incêndio rural. Posto isto, reforçaçamos junto da população os cuidados a ter para minimizar e prevenir uma e outra situação.