O Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Belmonte, esteve presente na apresentação do Projeto de Arquitetura da ERPI “Qualificada”, a instalar em Caria, num terreno que em tempos, o Município de Belmonte, cedeu à Misericórdia de Belmonte, para aí instalar um Lar de Idosos.

Esta apresentação teve lugar na sede da Associação Mutualista Covilhanense, no passado dia 26 de fevereiro. É um projeto de grande dimensão que congrega a parceria de três entidades do setor solidário da Cova da Beira, nomeadamente a Misericórdia de Belmonte, a Associação Mutualista Covilhanense e a Associação de Solidariedade Social da Freguesia de Silvares.

Trata-se de uma Estrutura Social de última geração e foi desenhada, especialmente, para receber pessoas com demências, uma vez que é uma grande preocupação das entidades envolvidas o crescente aumento de utentes nos seus Lares, com este tipo de patologias.

Tem como finalidade, promover redes de cooperação institucional, assentes em programas e projetos que permitem responder de forma solidária e sustentada às novas realidades sociais da população.

A sua área geográfica de atuação são os três Municípios da Cova da Beira, Belmonte, Covilhã e Fundão, podendo vir a ser alargada a outras regiões.

Para além das funções inerentes ao próprio equipamento, esta plataforma tem como objetivo a prevenção e o combate à pobreza e ao isolamento social, através da intensificação de dinâmicas de parecerias, promovendo uma rede institucional de serviços e equipamento fomentando a eficiência institucional, com base nas estruturas existentes e/ou a criar.

A mobilização de recursos técnicos qualificados, bastante deficitários nesta área na nossa região, é outra das apostas desta Plataforma.

Outras das componentes deste projeto, é a articulação de harmonização das respostas ao nível da saúde mental, operando como agente dinamizador da formação de recursos humanos dedicados aos cuidados para as pessoas com demências.

O Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Belmonte Dr. António Pinto Dias Rocha, mostrou-se entusiasmado com o projeto, apelando aos autarcas dos Municípios de Cova da Beira, para que possam aderir ao projeto como parceiros institucionais, como o Município de Belmonte já o fez oportunamente.

Realçou o facto de esta futura estrutura poder criar empregos altamente qualificados, relativamente à área da saúde, bem como poderá gerar oferta de emprego entre efetivos e prestação de serviços entre 60 e 100 postos de trabalho.

O custo deste equipamento é de 4.000 milhões de euros, dispondo de capacidade para 80 utentes.

 

(Leia aqui a Nota de Imprensa em formato digital)