Artigos

Foi renovada a declaração do estado de emergência pelo Decreto do Presidente da República n.º 17 -A/2020, de 2 de abril, e tendo sido, após a aprovação do Decreto n.º 2 -A/2020, de 20 de março, detetadas situações que careciam de regulamentação expressa neste âmbito excecional com a evolução registada da pandemia, o Governo decide aprovar um conjunto adicional de medidas de modo a minorar o risco de contágio e de propagação da doença, das quais se destaca:

Limitação à circulação no período da Páscoa

  • Os cidadãos não podem circular para fora do concelho de residência habitual no período compreendido entre as 00:00h do dia 9 de abril e as 24:00h do dia 13 de abril, salvo por motivos de saúde ou por outros motivos de urgência imperiosa;
  • No mesmo período, serão encerrados para tráfego de passageiros todos os aeroportos nacionais. Mantêm-se os voos de carga, natureza humanitária, voos de repatriamento de portugueses ou voos de Estado e natureza militar.

Poderá consultar AQUI na integra o Decreto do Presidente da República n.º 2-B/2020, de 2 de abril.

 

As medidas de apoio ao emprego e empresas têm por objetivo reduzir ou aliviar os compromissos das empresas perante a banca, o fisco, a segurança social e os trabalhadores, com vista a manter o emprego e a proporcionar meios financeiros para continuar a pagar aos fornecedores e aos trabalhadores que se mantenham em funções.

Podemos dividir este conjunto de medidas aprovadas pelas seguintes áreas de intervenção:

1 – Medidas de Apoio à Economia – Lay Off;
2 – Medidas de Apoio à Economia – Moratórias de Crédito;
3 – Medidas de Apoio à Economia – Apoios à Tesouraria;
4 – Medidas Digitais de apoio à Economia – Teletrabalho;
5 – Medidas de Apoio à Economia – Empresários em Nome Individual;
6 – Medidas de Apoio à Economia – Diferimento de Impostos e Contribuições;
7 – Medidas de Apoio à Economia – Portugal 2020.

Link:
https://covid19estamoson.gov.pt/medidas-de-apoio-emprego-empresas/

Medidas Fiscais e Contributivas: AQUI

PME Empresas – Linha de Crédito Capitalizar: AQUI

Esta e outras informações, podem ser consultadas na página https://cm-belmonte.pt/covid-19/

A partir da meia-noite de hoje (26 Março), o país entrou na Fase de Mitigação e seguir as novas normas delineadas pela DGS (que pode consultar em detalhe aqui neste link).

As autoridades reconhecem agora que há “transmissão local em ambiente fechado”, há “transmissão comunitária” e que os planos delineados até agora já não bastam para travar o surto no país. É preciso dar o passo em frente. Mas que passo é esse?

  • Abordagem de Pessoas com Suspeita de COVID-19
    • Todas as pessoas que desenvolvam quadro respiratório agudo de tosse (persistente ou agravamento de tosse habitual), ou febre (temperatura ≥ 38.0ºC), ou dispneia/dificuldade respiratória, são considerados suspeitos de COVID-19 e devem ligar para a Linha SNS 24 (808 24 24 24);
    • Caso tenham dificuldade em ser atendidos na Linha SNS24, podem ligar para o Centro de Saúde de Belmonte, para os números: 275 910 030 e 275 911 122.
    • Não se devem deslocar ao Centro de Saúde, mas sim, telefonar.
    • A avaliação pela Linha SNS24, ou pelo Centro de Saúde de Belmonte, permite, consoante a gravidade, o encaminhamento do doente suspeito de COVID-19 para:
      • Isolamento em casa e sob vigilância médica por contacto telefónico diário.
      • Consulta médica em Área Dedicada COVID-19, no Centro de Saúde da Covilhã (dias úteis das 8 às 20h) ou Centro de Saúde Fundão (todos os dias).
      • Avaliação médica em Área Dedicada COVID-19, no Serviço de Urgência do Hospital da Covilhã (24 horas por dia, todos os dias).
      • Encaminhamento para o INEM.

Caso seja encaminhado para a Covilhã, utilize a sua viatura própria, para minimizar a disseminação da doença.

Apelamos mais uma vez a população, para que se mantenham em casa, principalmente às pessoas que fazem parte dos grupos de risco. Por si e por todos nós.

De acordo com recente Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de março, o qual estabelece medidas excecionais e temporárias relativas à situação epidemiológica provocada pelo novo Coronavírus – COVID 19, e na sequência do acompanhamento informativo e da contínua monitorização do assunto que tem sido feita, a direção da Associação de Futebol de Castelo Branco (AFCB) deliberou e informa que “Fica suspensa, por tempo indeterminado, toda a atividade desportiva das provas realizadas por esta AF relativamente a todas as categorias de futebol”

Leia AQUI o Comunicado na integra:

 

 

No contexto das medidas de contenção da propagação do vírus COVID-19, em conformidade com as orientações aplicáveis a nível nacional e local, e dada a atual recomendação de isolamento social poder conduzir a situações de maior sedentarismo, apresentamos algumas recomendações de atividade física para fazer no domicílio.

Seja o mais ativo possível para ultrapassarmos esta fase da melhor forma.

A iniciativa surge da preocupação do Município com a saúde dos munícipes que frequentam as instalações municipais, a fim de apontar na prevenção e aumentando a probabilidade de sobrevivência em caso de paragem cardiorrespiratória. Estes equipamentos, dado que podem salvar vidas, são essenciais como qualquer outro equipamento de segurança.

Para correta utilização dos desfibrilhadores externos, 10 funcionários do município de Belmonte, já frequentaram cursos de formação ministrados por entidades especializadas e certificadas para a área da Desfibrilhação Automática Externa.

Os dois primeiros aparelhos foram colocados no início do ano de 2020 e em espaços da responsabilidade da Autarquia, nomeadamente no Pavilhão Gimnodesportivo de Belmonte e Pavilhão Gimnodesportivo de Caria, com efeito de prevenir vítimas de morte súbita cardíaca. Os dois espaços desportivos passam a estar equipados com desfibrilhadores de ponta, que incorpora monitorização remota 24 horas por dia, teleassistência com a Cruz Vermelha Portuguesa e chamada automática para os serviços de emergência.

Segundo o responsável autárquico, com a utilização de desfibrilhadores automáticos externos a possibilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor for o tempo decorrido entre a fibrilação e desfibrilhação, daí a importância de implementação deste programa.